SPFW – Dia II

SPFW inverno 13: Colcci – O inverno da Colcci teve sua inspiração nos uniformes. “Começamos pensando no militar, mas terminamos nos uniformes em geral. Esse tipo de vestimenta tem linhas limpas e geométricas e sempre remete à elegância.” explicou Jeziel Moraes. Na passarela muitas saias de prega e as jaquetas bomber lembraram as roupas de estilo college e coturnos saídos dos trajes militares! Na passarela muitas saias de prega e as jaquetas bomber lembraram as roupas de estilo college e coturnos saídos dos trajes militares!

Samuel Cirnansck: Com apenas 15 looks o estilista mostrou sua coleção. Inspirado na Rainha Nefertiti o desfile trouxe vestidos esvoaçantes que tomaram conta da passarela. Não houve economia nas pedrarias e bordados feitos à mão, o que reforçou ainda mais a veia artesanal do designer.  O desfile foi focado em cores e silhuetas bonitas e sensuais: o repuxado no quadril que deixa o vestido mais curto na frente, o estruturado no peito, as costas aparecendo, tecidos finos e deslizantes. Nefertiti, nome da rainha-sacerdotiza do Egito antigo que quer dizer “A mais bela chegou”

Lino Villaventura – Os desfiles do estilista são sempre marcantes, quase dramáticos. Nesse, modelos saíam de uma nuvem de fumaça. A aura dark perfumou bem os vestidos cheios de nervuras.

 

SPFW – Dia I

SPFW inverno 2013 – Tufi Duek: Inspirado pelo filme Os Pássaros de Alfred Hitchcock, a Tufi Duek colocou na passarela mulheres sexies e com ares fetichistas. Pontuada por peças impactantes e fortes, a coleção tem no preto sua cor-chave, inspirada no corvo. “Para diferenciar um look do outro, trabalhamos diferentes texturas, fosco, brilho. Usamos couro, malha de lã, renda resinada e paetês especiais, que ora lembram a trama de um tricô, ora mudam de cor, conforme a luz”, destacou Eduardo Pombal. O couro é um dos principais materiais da coleção e surgiu com um tratamento para ganhar briho e um ar plastificado. A silhueta justa aparece nas saias lápis e nos ternos, mostrando que mesmo sensual a coleção não perde sua elegância.

Triton: A estilista Karen Fuke disse que a coleção é a continuidade do verão. “É uma evolução do que fizemos na temporada passada.” A alfaiataria desconstruída continua lá, com blazers e paletós amplos, tudo máxi. A estampas saíram do lugar comum,e os florais da marca surgiram com uma pegada mais dark – flores carnívoras e rosas com espinhos. Do começo P&B à passagem pelo verde militar e os momentos de azul e vermelho, o clima era neogrunge A grife misturou sua essência ao rock’n’roll em toda a coleção.

Ronaldo Fraga – Inspirado pelo trabalho do ilustrador mineiro Paulo Marques de Oliveira, o estilista abusou de círculos com setas, folhas e flores para criar looks simples e super modernos.